31 de jul de 2015

Wishlist: Agosto

Como toda garota, tenho 1001 desejos, mas esse mês resolvi separar só 5 pra compartilhar com vocês!

 1. Estava lá eu no shopping e resolvi entrar na livaria (pra variar) e dei de cara com esse livro LINDO, que conta a história de uma bailarina que teve o melhor amigo sequestrado há quatro anos, quando ele é solto, ela descobre que o sequestrador pode ter sido uma das pessoas que ela mais ama! Quero já!

2. Minha pele é muito oleosa então eu preciso muito de uma base bem matte e sequinha, fiz umas pesquisas e tenho uma leve impressão de que essa da Vult vai ser a ideal pra mim <3

3. Tive meu celular furtado há dois meses (estão ouvindo a musiquinha triste?) e pesquisei MUITO para saber qual seria o ideal, que atenderia minhas necessidades e cheguei a conclusão que o Galaxy A3 é o que eu quero, a câmera dele é maravilhosa, ele é (segundo os profissas) um celular intermediário, mas pra mim tá ótimo!

4. A Seleção é uma das minhas séries favoritas, amo/sou! E agora foi lançado o quarto livro, tô surtando pra comprar. (Já resenhei os dois primeiros livros aqui e aqui)

5. Ultimamente uma das minhas maiores vontades tem sido reformar meu quarto e meu sonho é ter um penteadeira <3 Acho muito lindo e prevejo tour aqui no blog...


Daqui há uma semana eu vou estar com mais 10 desejos na lista hahaha O que acharam da minha wishlist? Comentem aqui em baixo!

25 de jul de 2015

Resenha: Poltergeist - O fenômeno (2015)

Depois de muito ouvir falar resolvi assistir e tive que trazer minha humilde opinião pra vocês.


A família Bowen passa por umas dificuldades financeiras e precisam se mudar para uma nova casa. Griffin, o irmão do meio, é o primeiro a perceber que as conversas de sua irmã mais nova, Maddy, com fantasmas não são tão normais quanto parecem e então começam a acontecer algumas atividades paranormais na casa. E em como todo bom (ou não) filme de terror, os pais levam na esportiva e não acreditam muito nos relatos dos filhos até que Maddy é levada pelos espíritos para uma missão totalmente fora do comum em outra dimensão.


Bom, o filme é um remake, o original foi lançado em 1982 e foi um sucesso. Eu não assisti ao original, mas achei essa versão BEM xôxa. Quando estava em cartaz eu estava muito curiosa para assistir e não pude ir graças ao bom Deus, pois teria me arrependido. Eu o assisti no MegaFilmesHD com expectativas que não foram superadas, o filme é legalzinho para assistir como um passatempo, porque assistir esperando um filme surpreendente vai ser bem desagradável.
A história do filme em si já não é de se esperar muita coisa (fala sério, quantos filmes sobre famílias que se mudam e vão pra casas amaldiçoadas você já assistiu?), tudo vai depender do seu nível de expectativa.

Se você já assistiu o original ou até mesmo o remake, não deixe de comentar sua opinião, quero muito saber! Ah, todo dia eu posto várias fotos no Insta, segue lá <3

24 de jul de 2015

Um estranho na rua

Foi nessa mesma esquina onde eu realmente percebi que acabou, depois de tantos desencontros. Quando o vi, passou-se um filme em minha mente, desde o início até aquele instante, lembro que minha mente insistia em voltar nos momentos bons para que meu coração não se entristecesse com a posição que estávamos, tudo em fração de segundos. Também me lembrei de como nos conhecemos, naquele mesmo evento há meses atrás quando acidentalmente nos esbarramos e trocamos olhares de desejo, telefones, mensagens. E ali, vinte e sete de novembro por volta das dez da noite, trocamos olhares novamente, mas dessa vez não houve desejo e nem contato físico, nos reconhecemos de longe. Não trocamos palavras, mas entendi tudo que ele quis dizer naquele olhar. Acabou. E em meu dizia Volta. Depois de um tempão percebi que todos que estavam no evento estavam como nós começamos: encantados, e eu senti uma tristeza totalmente diferente das que já havia sentido, eu não desejava isso pra ninguém e torcia para que todos os romances que ali começariam, não terminassem como o meu. Após essa loucura de pensamentos e sentimentos, não percebi que ele já tinha ido embora e só me restou fazer o mesmo... Talvez a gente se encontre novamente em outra esquina dessas, talvez um dia você passe despercebido por mim, como mais um estranho, que um dia significou tudo.

Esse texto faz parte do Projeto Escrita Criativa, para saber mais clique aqui.

This entry was posted in

23 de jul de 2015

Resenha: Escritores da liberdade

Como uma grande viciada em filmes que sou, não poderia deixar de trazer um dos melhores dramas que já assisti.


O filme fala sobre Erin Gruwell, professora cansada da vida monótona e do andamento na vida profissional que resolve entregar-se à educação de uma maneira bem radical: assumir uma sala de aula cheia de adolescentes rebeldes e frustrados. Ela esperava encontrar alunos dedicados, estudiosos e interessados, mas dá de cara com garotas e garotos violentos que vivem em bairros perigosos e cheio de gangues movidas por razões raciais.


Eles debatem e batem de frente com Erin, frustrados pelas perdas de pessoas próximas que foram mortas por brancos, mas ela responde e os faz refletir se tudo aquilo vale a pena e se um dia eles realmente serão lembrados por seus atos. Ela tenta inovar e pede a opinião da direção a respeito de suas ideias, mas é em vão, e ela terá que lutar por eles sozinha tentando participar da vida deles. Pouco a pouco ela consegue a confiança dos alunos, mas aí vocês terão que assistir o filme hahaha


O filme é baseado em fatos reais e se passa por volta de 1992, um drama que te faz refletir e todos deveriam assistir. Super recomendado!
Quem aí já assistiu ou ficou curioso? Comentem a opinião de vocês, vou adorar saber!

Uma carta para um amor que já se foi

    
    "Se foi." As duas únicas palavras que vinham em minha mente quando eu lembrava do que nós éramos. Meu meio amigo, meu meio amor. Era o que você era. Eu te dei minhas noites de sono, eu te dei os créditos do meu celular, dei até algumas amizades e dei também, meu coração. Você me deu suas palavras de promessa (que foram quebradas). Se foi.
    Eu era teu amor, tua mulher, tua namorada, tua companhia. Tua. Talvez você não se lembre, mas você costumava dizer que eu fui a melhor coisa que te aconteceu. Da boca pra fora, pensei. Não te mandei embora, você preferiu ir.
    Se foi porque quis, se quiser também vai voltar. Só não deixe pra voltar depois que eu arrumar toda bagunça que existe aqui dentro, volte enquanto há tempo, enquanto está tudo bagunçado mesmo, e aí a gente arruma junto.
This entry was posted in